Você quer entender como o Google funciona e como faz para exibir seus resultados de pesquisa de forma tão eficaz e rápida? Esse conhecimento é essencial para você entender a lógica de todas as ações necessárias para trabalhar o SEO do seu website (não importa se você é um e-commerce, um corretor de imóveis, um advogado ou qualquer outro nicho).

Essa é a versão escrita do conteúdo. Na parte de baixo desse artigo, se você preferir, temos a versão em vídeo.

SEO: Porque a pesquisa ainda é o maior pilar do Google

SEO vem do inglês Search Engine Optimization, que significa Otimização dos Mecanismos de Busca. Basicamente é a ciência que estuda como colocar seu website bem colocado nas pesquisas orgânicas (ou seja, que não oriundas de campanhas pagas) dos mecanismos do busca, principalmente, do Google.

Em primeiro lugar, você precisa entender que o Google não é uma entidade sem fins lucrativos. Sim, eles organizam a Internet e sua informação, mas o objetivo deles é lucrar.

O gráfico abaixo mostra a evolução das receitas do Google nos últimos anos:

Receita do Google (fonte Statista)

Do total de receita do Google, 83% (em 2019) vem de publicidade. Ou seja, embora o Google tenha muitas outras fontes de renda já (por exemplo Google Suite, que minha empresa usa para e-mail, etc), ela ainda é completamente dependente do publicidade. Só a publicidade devido a busca é responsável por 60,6% de toda receita.

O Google ainda é muito dependente de sua receita com publicidade.

Ou seja, o Google precisa que as pessoas usem a pesquisa (caso contrário não irão clicar nunca nos anúncios). A estratégia dele para isso é ter os melhores e mais relevantes resultados de pesquisa – afinal, se começasse a mostrar resultados ruins, rapidamente as pessoas iriam para o Bing, Yahoo e outras plataformas de busca.

É daí que vem o SEO: é a estratégia que você faz em seu website para que o Google lhe considere relevante.

Mas vamos ao tópico principal desse artigo: afinal, como o Google faz para trazer resultados tão bons tão rapidamente?

Nota: quando você pensa em tráfego, você tem que pensar em SEO (para tráfego orgânico e gratuito) e em tráfego pago. A parte paga do tráfego tem como principais plataformas o Google Ads, e o Facebook Ads (que inclui Facebook e Instagram). Se quiser saber 21 dicas para melhorar sua Campanha do Google Ads, acesse esse artigo.

Os três mecanismos principais envolvidos no processo de busca do Google

Vamos começar explicando as três etapas do processo, como mostra a figura abaixo:

As engrenagens principais do Google

A primeira tarefa do Google é Indexar a Web. Quando você pesquisa algo, ele não sai navegando em todos os websites por aí. Ele já tem isso tudo guardado. O processo de Indexar a web basicamente consiste em ter uma cópia local da Internet nos bancos de dados do Google. É isso mesmo que você leu: a Internet toda (ou quase toda), está nos bancos de dados do Google, já previamente ordenados pro alguns fatores chave.

A segunda tarefa é, após uma pesquisa do usuário, acessar seu banco de dados, encontrar os melhores resultados e apresentá-los em forma de lista, como na página de resposta do Google (essa página de resposta é chamada de SERP – Seach Engine Results Page – Página de Resultados de Busca).

A terceira tarefa, essa mais nova, é incorporar dados de navegação aos resultados. É aí que o Google torna-se muito inteligente. Se por exemplo ele começa a mostrar uma página na segunda posição para a pesquisa “obturação de dente” e a maioria das pessoas que clica naquele resultado fica poucos segundos e logo sai, ele vai entender que aquela página é ruim como resultado dessa pesquisa e vai reduzindo seu valor e sua posição para esse tipo de pesquisa.

Entendendo um pouco mais a fundo os três processos base de todo o SEO

Para entender um pouco mais a fundo o processo, vamos explodir o gráfico acima das três engrenagens em três processos:

O funcionamento do Google mais detalhado

Veja que a indexação da Web têm três sub-tarefas principais:

  1. Crawling: processo de rastrear e ler todas as páginas da Internet
  2. Rankear: processo de ordenar as páginas por diversos fatores para que se consiga rapidamente se decidir qual a relevância dela perante uma pesquisa qualquer
  3. Indexar: processo de armazenamento da página para que ela seja rapidamente acessível (junto com os fatores de rankeamento) e o resultado dela possa ser rapidamente exibido

Já o processo de consulta é dividido em três sub-tarefas:

  1. Contexto: pense no termo “bolsa”: ele pode ser relativo a bolsa feminina, a bolsa família, a bolsa de estudos ou bolsa de gelo, por exemplo. Então o primeiro passo é sabe qual o contexto geral daquela pesquisa.
  2. Encontrar sinônimos: então o Google encontra sinônimos relevantes das palavras dentro daquele contexto
  3. Pesquisa: com os dois passos anteriores feitos, ele está pronto para pesquisar no banco de dados e encontrar o melhor resultado

O feedback de navegação, que aumenta ou reduz a pontuação das páginas, tem diversos fatores, mas citamos dois principais: tempo de navegação (quanto tempo o usuário fica na página) e interação (quando ele interage com a página clicando nos links ou nos vídeos internos).

Entendendo o Crawling

Vamos agora entender um pouco mais detalhadamente o processo de Crawling, que é o pré-requisito para que o Google consiga indexar as páginas e apresentá-las em uma pesquisa.

Imagine um website normal. O Google iria começar pela Home Page e então, vendo os links do menu e outros links internos, começaria a rastrear todos os caminhos possíveis, assim encontrando as páginas daquele website:

Crawling no Google

A figura acima coloca em verde as páginas pesquisadas pelo Google, em vermelho as que foram excluídas (isso pode ser feito usando o arquivo robots.txt ou diretivas como noindex – se quiser saber mais sobre esses itens, leia esse artigo do Google) e em marrom as que não foram encontradas por que não eram linkadas com nenhuma outra página. Isso pode ser resolvido inserindo um link ou usando um sitemap – que é um arquivo que avisa ao Google o “mapa” de todas as páginas do website.

Ele faz isso um a um, com todos os websites do planeta. Louco não?

Indexão e Rankeamento do Google

Chega então a hora de Rankear e Indexar a página. Existem diversos fatores, como o texto dentro de cada página, os títulos utilizados, as imagens, etc (fatores chamados On-Page). Mas um fator é mais crítico do que todos os outros: os links externos que apontam para seu website ou para sua página. Ele é o principal fator Off-Page (que não estão dentro do seu website e por isso você não tem controle sobre ele) de classificação de uma página.

Basicamente, se um website aponta para você, ele transfere uma parte (85%) da sua autoridade dividida pelo número de links que aquele website possui.

Por exemplo, se um website tem autoridade 80 e tem um link apontando para seu website, mas tem mais 10 links, ele vai transferir um décimo (10 links) de 85% de 80. Ou seja, ele iria transferir (80 * 85%) / 10 = 6,8.

Sua página então somaria todas essas pontuações recebidas de todas as páginas externas que apontam para você para criar o principal fator Off-Page de sua página.

SEO Off-Page: Link Building

É por isso que um dos principais trabalhos em SEO é o link building, que é o processo de conseguir links de websites com alta autoridade / pontuação que apontem para sua página. Isso pode ser feito através de parceiras, notícias, posts convidados, etc.

Veja abaixo o vídeo que gravamos sobre o assunto:

Vídeo completo: Como o Google Funciona (SEO 2020)

Agora que você entende como o Google funciona, você está pronto para entender as regras do SEO sem ter que decorar nada, pois agora você sabe a lógica de base do Google e como fazer para ser melhor rankeado.

Se quiser saber uma dica para melhorar o SEO do seu website em 4 passos, leia o artigo “Técnica de SEO: Aumente o Tráfego Orgânico do seu Website

shadow-ornament
Se deseja aprender o Google Ads do Zero e ficar acima do seu concorrente, inscreva-se em nosso curso Efeito-G: o melhor curso de Google Ads do Brasil.
Se você deseja uma consultoria em vendas online, negócios digitais ou Inteligência de Tráfego, marque um horário gratuitamente para analisarmos seu negócio e ver onde e como podemos lhe ajudar.

Ulisses Giorgi da LucroDigital.Com.Br
Ulisses Giorgi da LucroDigital.Com.Br

Ulisses Giorgi é professor do curso de extensão em Marketing Digital na PUC/RS. Formado em Ciência da Computação pela UFRGS, tem mestrado em Sistemas Distribuídos e Reativos pela mesma instituição. Possui MBA Extension em Negociação e Liderança em Harvard.Cientista de Tráfego, através da Lucro Digital, vem ensinando empreendedores comuns como melhorar a venda de seus produtos e serviços na Internet utilizando Inteligência de Tráfego e liderando consultorias com diversos clientes.

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.